Sobre sonhos engavetados e a vontade de realização

Quando você desistiu de correr pelos seus sonhos? Você já teve pelo menos algum?

Quando eu era criança comecei a ler Harry Potter e me envolvi com fanfictions, desenvolvi um gosto imenso pela leitura e principalmente pela escrita. Produzia textos furiosamente. Não eram ruins não, já encontrei algumas ficções minhas antigas e gostei bastante. Sem dúvida daria continuação a várias delas com o toque de maturidade que adquiri ao longo dos anos.

A vontade de escrever profissionalmente brigava com a vontade de fotografar. Desde sempre ouço elogiarem minhas fotografias e por muito tempo considerei trabalhar com isso. Sonhei em me tornar uma fotógrafa de animais, filmes ou qualquer coisa fora do senso comum. Nunca gostei da ideia de pessoas posando em frente à câmera, prefiro algo mais natural.

Mas essas duas vontades ficaram sempre engavetadas por falta de coragem, mesmo com uma mãe que sempre me apoiou. Pra mim ambos eram caminhos quase utópicos. Em reuniões de família (ou na escola) quem falava que queria seguir um caminho mais artístico era levado com a mesma seriedade do garoto que dizia que queria ser jogador de futebol. Por isso antes mesmo de tentar, eu desisti. 

E dia desses bateu um baita arrependimento. Algo que nunca tinha sentido antes. Não estou feliz trabalhando com o que trabalho, não mexe comigo e não me sinto realizada. Apesar de muita gente sonhar em trabalhar em casa, ter um apartamento grande e morar sozinho, não é isso que eu queria. Acabei fazendo para não errar. Mas errei! Errei feio. 

Costumo dizer que invejo quem nasce com talento para ser alguma coisa, como se eu nunca tivesse aspirações e vontades, mas eu tive. Só que deixei de lado. Deixei de lado para não ser comparada a prima que faz nutrição, é bem sucedida e mora fora do país. Deixei de lado para não experimentar o fracasso caso não desse certo. Deixei de lado para não pensar que estava perdendo tempo e dinheiro.

O custo disso foi a minha satisfação. Matei minha vontade de realização pela praticidade, pelo dinheiro garantido todo mês e pelo apartamento em um bairro bom. Não que eu odeie o que já conquistei, mas não era isso que eu queria. Porque diabos não me dei ouvidos? Depois de conseguir certa estabilidade é complicado pensar que podemos começar do zero novamente. E é nessa fase que eu estou.
Vi uma amiga minha seguindo um sonho de estudar atuação, estou vendo um casal de amigos tentando levar adiante o sonho de morar fora do país, um amigo do meu namorado está seguindo o sonho de cantar. Será que eu posso também? O que me custa tentar? 

Minha idade não deve ser justificativa, ainda nem completei 25 anos. Então estou aqui, publicando isso, me expondo um pouquinho, para quem sabe conseguir uma motivação extra. Ou até ajudar quem está com dúvidas e dizer para não cometer os mesmos erros que eu cometi. É muito mais fácil se sentir seguro para realizar os sonhos quando não temos um aluguel para pagar, então invista nas suas vontades. Não deixe morrer.

Que nem diz em uma música de The Killers, “I've got this energy beneath my feet, like something underground's gonna come up and carry me". No bom português: tenho essa energia sob meus pés, como se algo no subsolo fosse sair e me carregar. 

E eu realmente quero que essa energia me carregue. Vamos ver no que vai dar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...