Resenha: O Leitor, de Bernhard Schlink

Resenha: O Leitor, de Bernhard Schlink

Vi a postagem da Natalia sobre seus livros favoritos e também fiquei com vontade de falar um pouco dos meus, mas já aviso que escrevo demais sobre o que eu gosto e invés de fazer uma lista vou escrever sobre cada um individualmente se não ninguém aguentaria ler. Para começar vou falar sobre "O Leitor", livro publicado pela primeira vez em 1995 que em 2008 ganhou uma adaptação no cinema. Não vou contar detalhes para não entregar de bandeja, apesar de ser tentador porque cada ponto particular desse livro faz dele mais apaixonante.

“Que história triste, pensei durante muito tempo. Não que eu pense agora que ela é feliz. Mas penso que é verdadeira e, diante disso, perguntar se é triste ou feliz é algo que não faz sentido.”

A história conta como o protagonista, Michael Berg, conheceu uma mulher chamada Hanna Schmitz por acaso e como viveram um caso de amor - que durou exatamente um verão. Além de ser 21 anos mais velha que Michael, Hanna sempre pedia que ele lesse algum livro antes de fazerem sexo. Michael sempre lê clássicos da literatura, como Tolstói, Dickens e Goethe. Um dia Hanna some de sua vida e eles se reencontram muitos anos depois quando Michael, já estudante de direito, acompanha um julgamento junto com sua turma e descobre que a mulher que ele amou há muitos anos atrás é réu do caso.

É a partir daí que a história começa de verdade. Hanna assume a culpa de um crime que não cometeu, é sentenciada a prisão perpétua e Michael ao perceber sua inocência começa a gravar áudios de livros e os envia para Hanna na prisão.

“Justamente porque ela se encontrava tão próxima e tão distante, daquela forma descomplicada, não quis visitá-la. Tinha a sensação de que ela só podia ser o que era para mim na realidade da distância. Tinha medo de que o mundo pequeno, leve e protegido dos bilhetes e fitas fosse artificial demais e vulnerável demais para resistir à proximidade real. Como devíamos nos encontrar cara a cara, sem vir à tona tudo o que o que acontecera entre nós?”
 

O autor conta tudo sobre o ponto de vista de Michael e por conta da narrativa analítica e certeira que não deixa espaço para plotholes fica fácil de absorver os sentimentos do protagonista e se envolver a ponto de sentir as dores dos personagens. Ao desenrolar das páginas percebemos um drama impactante, real e profundo.

O tom é bem melancólico e não vou negar, é de fato uma leitura muito triste e foi a primeira vez que chorei após terminar um livro. Mas vale cada sentimento despertado. Poucas obras te fazem sentir desse jeito.

O filme também é muito bom e completa o livro, coisa que raramente acontece. Não é a toa que a Kate Winslet levou o Oscar pela atuação de Hanna ♥.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Apaguei o outro que tava com erro, aff.

    Enfim, FIQUEI MEGA FELIZ DE VIR AQUI e ver que tinha post. Escreve mais, ein? <3
    Acredita que nunca vi nem li O Leitor? Adooooro drama, vou procurar. A Kate Winslet é foda, amo essa mulher.
    O blog tá lindo demais, sua cara!

    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai guria, vale muito a pena! O filme é maravilhoso, se quiser a opção mais rápida pra matar a curiosidade <3 e obrigada, ainda não divulguei mas daqui a pouco saio do armário haha

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...